Brasil abrirá mão de direitos na OMC para ingressar na OCDE

O presidente Jair Bolsonaro concordou em abrir mão do tratamento diferenciado que recebe na OMC. Em troca, os Estados Unidos apoiará o Brasil na adesão à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Portanto, a decisão foi acertada em reunião de Bolsonaro com o presidente Donald Trump na Casa Branca.

A OCDE reúne os países mais industrializados do mundo e estabelece parâmetros de regras econômicas para os membros. Trump elogiou os esforços do Brasil para reformar a economia, além de manifestar apoio para que o Brasil inicie o processo de adesão.

Em troca, o chefe de Estado norte-americano pediu que o Brasil abra mão do status especial nas negociações da OMC.

“De maneira proporcional ao seu status de líder global, o presidente Bolsonaro concordou que o Brasil começará a abrir mão do tratamento especial e diferenciado nas negociações da Organização Mundial do Comércio. Em linha com a proposta dos Estados Unidos”, destacou o comunicado conjunto.

Malafaia ataca Eduardo Bolsonaro: ‘pare de falar asneira’

No fim de semana, repercutiu a notícia de que Eduardo Bolsonaro (PSL) criticou os brasileiros que vivem de forma ilegal no exterior. Disse o deputado: “vergonha para o Brasil”.

A declaração do deputado foi feita em Washington, quando comentava a possibilidade de o governo brasileiro isentar americanos da exigência de vistos para entrar no Brasil. Mas a mensagem não caiu bem para muita gente.

Depois disso, foi um aliado de Jair, o pastor Silas Malafaia, quem criticou o filho do presidente, pelo Twitter.

“EU SOU EXATAMENTE AO CONTRÁRIO DO QUE PENSA EDUARDO BOLSONARO. Não tenho vergonha dos brasileiros ilegais que estão em diversas nações poderosas. Não são vagabundos nem pilantras, pelo contrário, trabalhadores que foram tentar a vida fugindo do desemprego. ISSO É A MAIORIA DELES!”

Alem disso, o Malafaia completou a crítica:

“O FILHO DO PRESIDENTE, Eduardo Bolsonaro, ajudaria muito mais ao governo do seu pai, parando de falar asneira. Poderia ter ficado de boca fechada na questão dos imigrantes ilegais brasileiros. Não conhece a realidade da questão. A maioria, quase que absoluta, vai para trabalhar”.

Portanto, o duelo está armado.

Brasília entra na rota de cidades “stopover”

Brasília vai se tornar uma cidade stopover. Isso porque o governador Ibaneis e a TAP assinaram um protocolo para colocar Brasília na rota dos destinos que contarão com o modelo.

Na prática, passageiros que viajarem de Lisboa para o Brasil, com conexão na capital, poderão permanecer na cidade por um período de 2 a 5 dias. Mas isso não significa que terão que arcar com os custos.

O governador do DF, Ibaneis Rocha, destacou. “Para nós, isso é muito importante. São pessoas com boa condição econômica, que movimentarão o mercado”.

Robôs serão maioria no mercado de trabalho em 2025

Em 2025 os robôs cumprirão 52% das tarefas profissionais correntes, afirma um estudo do Fórum Econômico Mundial. No entanto, a mudança criará 58 milhões de novos empregos.

Alguns setores serão mais afetados pela automatização. Até 2022 podem ser suprimidos 75 milhões de empregos em setores como contabilidade, secretariado, fábricas de montagem, centros de atendimento.

Ao mesmo tempo, os pesquisadores acreditam na possibilidade de criação de 133 milhões de empregos, em áreas como inteligência artificial, tratamento de dados, softwares ou marketing.

Além disso, os desenvolvedores e especialistas de novas tecnologias serão muito requisitados.

“A escassez de qualificação é preocupante nos setores de tecnologia da informação e comunicação, serviços financeiros, mineração e metais”, aponta o documento.